O que são veias varicosas?

Artérias trazem sangue rico em oxigênio de seu coração para o resto de seu corpo. Veias devolvem sangue pobre em oxigênio para seu coração.

Você tem 3 tipos de Veias em suas pernas:

1- Veias superficiais: ficam próximas a sua pele; compreendem também as safenas: magna (ou interna) e parva (ou externa);

2- Veias profundas que ficam envolvidas por músculos. As Veias profundas conduzem o sangue a veia cava inferior que é a maior veia de seu corpo e que faz o retorno do sangue venoso ao seu coração;

3- Veias perfurantes que conectam veias superficiais a veias profundas.

As varizes são uma das doenças vasculares mais freqüentes e atingem cerca de 50% da população acima de 50 anos e 30% das pessoas com 30 anos em média. Tem origem hereditária e também pode ser desencadeada por gravidez, uso de anticoncepcionais e postural (ficar muito tempo em pé e sentado).

Elas se formam pelo enfraquecimento e desgaste nas válvulas das veias das pernas. O normal é que o sangue circule da veia superficial (visível, fica sob a pele, na camada de gordura) para a profunda (situada no meio da musculatura da perna e invisível).

Já as pessoas com as válvulas doentes têm uma inversão no caminho do sangue, da veia profunda para a superficial, e este aumento do volume sanguíneo resulta em dilatação e no aparecimento da doença.

Veias varicosas são veias dilatadas e tortuosas que você pode ver através de sua pele.

Elas podem se apresentar em diversas formas: apenas como minúsculas linhas avermelhadas serpentinosas (telangiectasias), ou mais calibrosas azuladas (varizes de médio calibre) ou ainda com nódulos que saltam o plano da pele (varizes de grosso calibre).

Por que as varizes são mais comuns nas pernas do que em outros lugares?

 

Normalmente, depois do sangue sair do coração e chegar nas pernas e pés, ele tem que voltar ao coração e aos pulmões para receber mais oxigênio. Isso é feito com a ajuda dos músculos e das veias das pernas e dos pés. Eles "fazem força" para que o sangue destas regiões mais baixas do corpo suba em direção ao coração e pulmões (contra a gravidade). Além disso, para que o sangue que está subindo não volte, existem pequenas válvulas dentro das veias que impedem que isto aconteça. No entanto, quando por diferentes motivos o sangue não consegue subir, e se acumula nas veias das pernas e pés, as veias ficam dilatadas e aparecem as varizes.

Quais os sintomas das varizes?

Dores nas pernas;

Queimação nas pernas e plantas dos pés;

Inchaços, especialmente nos tornozelos;

Prurido ou coceira;

Cansaço ou sensações de fadiga;

Peso nas pernas e câimbras;

Presença de veias azuladas e muito visíveis abaixo da pele;

Agrupamentos de finos vasos avermelhados;

Podem ainda provocar manchas escuras e inflamações (como as flebites que ocorrem na parede dos vasos).

Quais os fatores de risco para varizes?

Vários são os fatores que aumentam a chance da pessoa ter varizes, sendo o principal a tendência familiar: um histórico de parentes próximos como avós, pais e irmãos com varizes, indica um risco maior de apresentar o problema. Existe assim uma clara correlação genética e hereditária de forma que, em pelo menos 70% dos casos, encontramos com alguma facilidade esta correlação. Porém, outros fatores como a gravidez, múltiplas gestações, hormônios (principalmente ou uso de anticoncepcionais e a terapia de reposição hormonal para a menopausa), obesidade, sedentarismo, ou ficar muito tempo em pé ou parado (por exemplo, balconistas, professores, vendedores etc.) também são fatores de risco importantes para o desenvolvimento de varizes.

De que testes/exames precisarei?

Primeiro seu médico lhe pergunta por sua saúde geral, história médica, e sintomas; e realizar um exame físico. Seu médico examinará a textura e cor de qualquer veia proeminente.

Para confirmar o diagnóstico de veias varicosas e para um melhor planejamento terapêutico, seu médico pode solicitar um exame de Ecodoppler Venoso de membros inferiores. Esse exame é usado para avaliar a competência e ver a estrutura de suas veias da perna (veias do sistema superficial e profundo) . O teste pode levar aproximadamente 20 minutos para cada perna. O exame fornece dados fundamentais como o calibre das veias (varizes são veias permanentemente dilatadas), seu fluxo ou refluxo, presença de trombose recente ou antiga, bem como a existência de pontos de compressão. Normalmente é o exame de escolha e suficiente para o planejamento cirúrgico. Em casos de exceção, podem ser necessários exames mais complexos, e invasivos como tomografia computadorizada, ressonância magnética nuclear, ultrassom endovascular e flebografia para complementar o diagnóstico, definir estratégias e planejar o tratamento. 

Como veias varicosas (com varizes) são tratadas?

Detectada a presença de varizes, a única maneira de eliminá-las é através de intervenções como cirurgia, laser e escleroterapia (ablação térmica, química ou simplesmente secagem das veias). A escolha do tratamento depende do tipo de veia, da condição clínica do doente, da localização e extensão do problema na veia, bem como da expectativa a respeito deste tratamento.
Métodos de tratamentos conservadores, sem cirurgia, laser ou escleroterapia, não curam ou previnem os problemas existentes nas veias. Entretanto, costumam ajudar a aliviar os sintomas como dor, inchaço, coceira e peso nas pernas enquanto se aguarda o momento de um tratamento definitivo, mesmo após ou na impossibilidade do mesmo. 

Como métodos conservadores pode ser indicado o uso de meias elásticas e / ou o uso de medicamentos flebotônicos, porém sempre com orientação médica.
Na visão mais atual sobre o manejo da doença venosa, as várias modalidades de tratamento são combinadas para a obtenção dos melhores resultados, tanto estéticos como para alívio dos sintomas.
Fique atento aos primeiros sinais de surgimento de varizes e procure o seu Cirurgião Vascular. 

Não atrase seu tratamento, nas fases iniciais é mais fácil de tratar e obter melhores resultados estéticos!!!

Quais os tratamentos clínicos?

Entre esses tratamentos, podemos citar ou uso diário de meias elásticas de compressão (que ajudam o sangue a subir) e medicamentos como a cumarina e a troxerrutina; a diosmina/hesperidina; a castanha da índia etc., que podem melhorar a circulação das pernas amenizando os sintomas. Para o uso de meias elásticas, recomenda-se que a pessoa as coloque logo pela manhã, pois com o passar do dia, o sangue fica acumulado nas pernas e pés, o que dificulta a sua colocação e a subida do sangue. Em relação aos medicamentos, estes devem ser utilizados sempre de acordo com a prescrição médica para que funcionem adequadamente.

Escleroterapia:

A escleroterapia, conhecida por muitos como "aplicação", é um tratamento destinado à eliminação das telangiectasias(vasinhos). Um líquido muito concentrado, chamado esclerosante, é injetado através de microagulhas, que são extremamente finas, dentro do vasinho. Este líquido provoca uma alteração na célula do vaso fazendo com que ele desapareça. Quando o líquido continua na circulação e atinge os vasos maiores é diluído pelo sangue e perde a concentração e, portanto, o efeito. Este tratamento é indicado apenas para os vasinhos, porque se o líquido for aplicado em vasos maiores podem provocar manchas e sérias complicações. Existem muitas substâncias que podem ser usadas e uma das mais empregadas é a glicose, por causa da grande tolerabilidade do paciente e por não causar alergia.

Microcirurgia com anestesia local:

 

É indicada para os casos mais leves de microvarizes. Pode ser feita em Hospital, ou na própria clínica. É aplicado apenas anestesia local no trajeto das microvarizes. As microvarizes são retiradas por pequenas incisões, tão pequenas, que não necessitam pontos para cicatrizar. A cirurgia é feita com o auxílio de microganchos que retiram as veias e as eliminam. É necessário um período de repouso não prolongado, usualmente de três a quatro dias, quando se retoma a atividade normal. Atividade física pode ser feita em 7 dias. É necessário um período sem tomar sol que varia de caso para caso. Este tipo de procedimento retira as veias reticulares (microvarizes) que estão sob a pele, formando trajetos azulados ou esverdeados e que freqüentemente estão intimamente associados com as telangiectasias ou vasinhos. Estas veias são muito freqüentes na face posterior do joelho e lateral da coxa e perna. Aparecem também na parte de dentro do joelho e coxa e às vezes na frente da tíbia. Quando estão associadas as telangiectasias (vasinhos) são fonte de refluxo e estase de sangue. Assim são em parte responsáveis pelo aparecimento dos vasinhos e devem ser tratadas também para melhores resultados.

Microcirurgia com anestesia peridural:

Trata-se em essência do mesmo procedimento realizado com anestesia local, mas para pacientes que tem uma grande quantidade de microvarizes. Neste caso a anestesia peridural substitui a anestesia local. Quando as varizes são em grande número, este procedimento é mais confortável. A cirurgia é feita em hospital.

Cirurgia de varizes:

É um procedimento realizado em Hospital para portadores de varizes de médio e grosso calibre. A necessidade ou não de internação vai depender da extensão do procedimento, e varia da alta no mesmo dia até 1 dia de internação. O tempo de repouso é mais prolongado, se estendendo por 7 a 30 dias.

Este procedimento vai tratar as veias aparentes e suas causas. Assim serão retiradas as safenas se estiverem doentes, as colaterais, as perfurantes, as veias reticulares.

O paciente passa no pré-operatório por uma fase que chamamos de "marcação das varizes". Neste procedimento pré-operatório, são desenhadas na perna, pelo cirurgião as veias que estão doentes, e são identificadas pelo exame clínico ou por ultra-som os pontos que apresentam refluxo ou estase, e que deverão ser tratados na cirurgia. Durante a cirurgia, o cirurgião vai seguir sua marcação prévia, como se fosse um projeto, para que os resultados sejam os melhores possíveis.

Cirurgia para varizes com laser endovenoso:

Uma técnica recém chegada da Europa, é indicada para as varizes de maior calibre e tem um menor tempo de repouso como principal vantagem. Ao invés de retirar as veias de grande calibre como a safena, elas são desligadas do corpo e tratadas por uma microfibra ótica, que transmite o LASER. A veia permanece no local, mas inativada, e separada da circulação. A grande vantagem é o pós-operatório que é muito mais simples com menos hematomas e retorno às atividades normais mais cedo. Como todos os tratamentos tem indicações precisas e não pode ser utilizado em todos os casos.

Varizes voltam?

As varizes tratadas nunca voltam. O que pode acontecer é outras veias dilatadas aparecerem em outras regiões da perna devido aos maus hábitos praticados no dia-a-dia. Importante saber que o processo de formação das varizes é contínuo e principalmente relacionado à genética e aos fatores de risco que acometem a doença.
Portanto, é comum aparecerem novas varizes no decorrer do tempo, mesmo após um tratamento bem sucedido. 
Recomenda-se que se faça uma avaliação de tempos em tempos e que o tratamento seja o mais precoce possível, diminuindo as complicações e também para se obter um melhor resultado estético. 
O tratamento das varizes deve ser contínuo, bem como se tentar evitar os fatores de risco modificáveis como o sedentarismo, obesidade, etc.

Orientação para pacientes com varizes:

  • Evitar ficar de pé ou sentado por mais de uma hora. Movimentar-se, pois os exercícios melhoram a circulação das pernas.

  • Quando as pernas estiverem inchadas, mantê-las elevadas durante a noite com um calço sob os pés da cama. Colocar travesseiro embaixo dos pés.

  • Não submeter o corpo à exposição prolongada de temperaturas elevadas tipo sauna, sessões de bronzeamento, banhos quentes demorados, porque também provocam uma maior dilatação dos vasos.

  • Não usar vestes que dificultem o retorno venoso.

  • Os sapatos sem saltos ou de saltos demasiadamente altos são desaconselháveis --> impedem a ação da bomba da panturrilha.

  • Combater a obesidade.

  • Manter uma dieta equilibrada, controlando o excesso de sal, condimentos e frituras.

  • Controlar outras doenças concomitantes como por exemplo diabetes e hipertensão.

  • Fazer breves repousos com os membros inferiores elevados.

  • Corrigir alterações do aparelho locomotor (artrose, rigidez da articulação etc.).

  • Praticar exercícios físicos que ativem a musculatura da panturrilha. As ginásticas, a marcha e esportes como natação e o ciclismo são recomendáveis. Evitar: esportes que exijam movimentos bruscos ou de esforço estático como halterofilismo.

  • Manter higiene dos pés, evitando traumas e micoses, que constituem porta de entrada para bactérias.

  • No calor aumentar a ingestão de água e líquidos.

  • Anticoncepcionais e outros medicamentos só devem ser tomados sob prescrição médica.

  • Use meia elástica conforme a orientação de seu Médico Cirurgião Vascular.